Feliz... Adaptado... Produtivo... Um pássaro numa gaiola a antibióticos...

quinta-feira, outubro 11, 2007

As saias no desenvolvimento dos serviços

Antes de começar o discurso é preciso que se esclareça alguns pontos .

Faz precisamente 3 anos que entrei numa empresa de seu nome IMS Health, mais conhecida como somente IMS. Esta é uma empresa onde existe por tradição a organização de uma viagem de fim-de-semana para festejar o Natal.

Nesse evento realizam-se habitualmente algumas praxes para apresentar os recém-chegados aos novos colegas, sendo que uma das actividades de praxe é a atribuição de um tema sobre o qual é necessário elaborar um discurso minimamente interessante. O tema que me calhou foi precisamente o título do post, o que, convenhamos, é algo um pouco "à frente" para um jovem de 22 anos, acabado de sair da faculdade e a dar os primeiros passos na vida profissional.

É importante relembrar também que foi por esta altura que terminou a curta experiência de Santana Lopes enquanto primeiro-ministro e que o apelido do director geral da IMS é "Mocho".

---------------------------------------------------------------------------

As saias no desenvolvimento dos serviços

IMSianas, IMSianos, eu tive um sonho!!

Eu tive um sonho em que as mulheres trabalhadoras exibiam ousadamente não só o tornozelo, como a canela, o joelho, e sim meus amigos, a coxa!

Eu tive um sonho em que as saias outrora pudicas e envergonhadas se erguiam com orgulho para gáudio daqueles que o sabem apreciar.

Eu tive um sonho... um sonho...

Contudo, tal como todos os sonhos, este, era uma ilusão, um opaco reflexo da realidade.

E porquê? Porquê, pergunto eu!
Eu digo-vos porquê! Porque desde há bastante tempo, sim bastante, porque esta situação não é de hoje nem é de ontem, os nossos líderes têm pactuado com o constante aumentar do tecido e a constante redução da quantidade de pele exposta, em claro conluio com o lobby do tecido!

Desde há muito tempo, líderes fracos, sem estofo ou capacidade de liderança, essas aves nocturnas, têm permitido sem capacidade de reacção o avolumar desta situação. E isto não se verifica apenas nesta empresa, é bem mais grave! Basta ver que bem recentemente o nosso próprio presidente da república demitiu o Dr. Santana Lopes, nosso maior aliado na luta pela redução do comprimento da saia.

É grave, meus amigos, e é ainda mais grave quando se sabe, quando toda a gente sabe, que um trabalhador outrora mole, sem vigor e desmotivado, quando na presença de uma saia curta se torna erecto, pujante e produtivo.

Venho aqui hoje, IMSianas e IMSianos, com a verdade. Sem rodeios, sem reticências, com a verdade. Denunciar factos preocupantes do nosso quotidiano, que claramente os nossos líderes ou não têm capacidade para dar volta ou, uma vez mais, preferem facilitar de mão em mão com a cabala liderada pelo lobby do tecido!

IMSianas, IMSianos, peço-vos, pensem com cabeça, porque aqui, nesta mesa eu vos prometo, eu vos juro, juro!!, que se me deixarem actuar farei uma redução efectiva, não de 5, não de 10, mas, de 15% do comprimento das saias! Para que exista cada vez mais joelho, cada vez mais perna, cada vez mais coxa para quem realmente o souber apreciar!

IMSianas, IMSianos, podem chamar-me demagogo, podem chamar-me populista, Machista ou mesmo Suzete, não seria a 1ª vez. Mas uma coisa eu sei, não foi um homem quem inventou a mini-saia!

O meu apelo é justo, mais do que isso é lógico e é urgente!
Para terminar, meus amigos, deixo aqui a minha promessa solene em que não me quedarei e que continuarei firme e hirto na minha incessante procura por uma saia mais reduzida, porque só assim poderemos crescer, só assim poderemos ficar mais fortes e só assim a saia terá finalmente um papel relevante no desenvolvimento dos serviços!!

2 comentários:

Cláudia disse...

Até podem ter passado 3 anos... Mas continua a ter piada!

Catarina Morgado disse...

Bravo!! Amei o texto, Suzete!